(11) 5535-4695   

Newsletter

Receba as nossas notícias e novidades em seu e-mail:

Parceiros

PSICOTERAPIA JUNGUIANA

 

 

Coordenador: Prof. Dr. Waldemar Magaldi Filho

Justificativa:

Esse curso de pós-graduação que titula e forma especialistas em Psicologia Junguiana visa difundir as teorias, práticas e pesquisas da Psicoterapia Analítica de Carl Gustav Jung e de seus sucessores, cujas obras estão sendo alvo de grande interesse na atualidade. Objetivamos oferecer este conhecimento através de aulas expositivas e presenciais, com apostilas ou referências bibliográficas, seguidas de debates e atividades práticas supervisionadas. Atualmente, apesar da crescente demanda para o conhecimento do homem integral em todas as áreas de saúde, constatamos que os cursos do Magistério Superior não estão conseguindo incluir este conteúdo em seus programas oficiais, por outro lado, as sociedades de formação praticam uma seleção econômica desleal devido aos altos custos por elas praticados. Desta forma, este curso vem suprir tanto a demanda de um conhecimento mais profundo sobre a Psicologia Analítica na formação profissional, preferencialmente das áreas de humanas e biológicas, como possibilitar que este conhecimento seja acessível e socializado a um maior número de profissionais e, conseqüentemente, a população que irá se beneficiar deste cuidado.

Objetivos:
Além de objetivarmos proporcionar aos participantes conhecimentos teóricos e práticos desta abordagem terapêutica, no sentido de ampliar os conhecimentos adquiridos na formação universitária padrão, esperamos que, ao final do curso, o aluno seja capaz de: 1) Analisar os princípios fundamentais da teoria Analítica de C.G.Jung e situar-se frente os seus próprios paradigmas. 2) Fazer uso dos procedimentos, métodos e fundamentos da Psicologia Analítica. 3) Aplicar adequadamente os conhecimentos adquiridos, dentro da ética profissional e do digno de ser trabalhado e curado. 4) Proporcionar conhecimentos para a pesquisa teórica-prática em Psicologia Analítica. Nossa proposta é a de ficarmos sempre dentro do pensamento da Psicologia Analítica Clássica, sem corrermos o risco de nos desviar demasiadamente para as correntes desenvolvimentistas ou arquetípicas, apesar de estudarmos muitas contribuições de neo-junguianos contemporâneos de C.G.Jung ou atuais que agregam valor ao seu legado. Porém, buscamos estar sempre consciente de que todas as contribuições partem da base que C.G.Jung nos deixou e que, a nosso ver, ainda é extremamente atual, real e eficaz.


Concepção do Programa:

O curso é destinado a todo aluno com formação superior, preferencialmente das áreas de humanas e biológicas. Porque o conhecimento da psicologia junguiana contribui para que o aluno, atuando em ambientes organizacional, hospitalares, clínicos, educacionais, entre outros, tenha uma excelente ferramenta no sentido de abordar o homem de forma integral, sem deixar de considerar o fato de que a condição humana é o resultado relacional entre os aspectos biológicos, familiares, profissionais, sociais, afetivos, emocionais e espirituais. Com isso, nossos alunos terão competências para reconhecer os possíveis aspectos que estão dissociados e quais os sintomas de adoecimento decorrentes dessa desintegração. Ressaltando que os sintomas de adoecimento podem ser manifestos no corpo, na família, no trabalho, na sociedade, nas relações afetivas e também na dimensão espiritual. Como este curso está sendo ministrado em uma instituição de ensino superior, seu custo, em relação às sociedades de formação, fica mais accessível além de que a nossa instituição oferece, para os alunos graduados em psicologia e medicina, condições para que a abordagem junguiana seja vivenciada em seus aspectos teórico-práticos em nossa clínica de atendimento psicoterápico, seguido de supervisão.

DISCIPLINAS:
1. O Modelo Junguiano - 45 h/a

Ementa:
Aspectos fundamentais e biográficos da vida e obra de Jung, incluindo a visão de homem, mundo e Deus que permeia a sua obra, o conceito de símbolo, angústia vital, consciente e inconsciente e a primeira parte dos fundamentos de Psicologia Analítica, incluindo conceitos de arquétipos, persona, sombra, anima e animus.

Objetivos:
Fundamentar os alunos para que os conceitos básicos da Psicologia Analítica, também chamada de Psicologia Profunda de C. G. Jung, sejam bem consolidados.

Bibliografia:
(Esta é a bibliografia básica de todo o curso e nas próximas disciplinas incluiremos a bibliografia complementar)

  • EDINGER, Edward F. Ego e Arquétipo, SP, Cultrix, 1989
  • HILLMAN, James. Estudos de Psicologia arquetípica, RJ, Achiamé, 1981
  • JAFFÉ, Aniela. O Mito do Significado na Obra de C. G. Jung, SP, Cultrix, 1989
  • JUNG, Carl Gustav. Obras Completas, Petrópolis, Vozes
  • JUNG, Carl Gustav. O Homem e Seus Símbolos, RJ, Nova Fronteira, 1964
  • JUNG, Carl Gustav. Memórias Sonhos e Reflexões, RJ, Nova Fronteira, 1961
  • NEUMANN, Erich. História da Origem da Consciência, SP, Cultrix, 1990
  • SILVEIRA, Nise. Imagens do Inconsciente, RJ, Alambra, 1981
  • VON FRANZ, Marie-Louise, C.G.Jung, Seu Mito em Nossa Época, SP, Cultrix, 1992
  • WHITMONT, Edward C. A Busca do Símbolo, SP, Cultrix, 1994
  • ZWEIG, Connie, e ABRAMS, Jeremiah.(organizadores). Ao Encontro da Sombra, SP, Cultrix, 1994

 2. Fundamentos de Psicologia Analítica - 45 h/a

Ementa:
Aprofundamento de todos os conceitos fundamentais da Psicologia Analítica, incluindo os tipos e as funções psicológicas, a função transcendente, a energia psíquica, o trabalho com sonhos, o processo de individuação abrangendo as relações do ego com o inconsciente, o Self e o aspecto psicóide dos arquétipos.

Objetivos:
Dar bases teóricas para que os alunos possam transitar confiantes pelo universo da obra junguiana, bem como começar a fazer uso dos principais conceitos desta obra.

Bibliografia:

  • HILLMAN, James. O Código do Ser, RJ, Objetiva, 1997
  • MINDELL, Arnold, O Corpo Onírico, SP, Summus, 1989
  • NEUMANN, Erich. A Criança, SP, Cultrix, 1991
  • SAMUELS, Andrew e Colaboradores. Dicionário Crítico de Análise Junguiana, R J, Imago, 1988
  • SHARP, D. Tipos de personalidade, SP, Cultrix, 1990
  • VON FRANZ, M. L. & HILLMAN, J. A tipologia de Jung, SP, Cultrix, 1990

 3. Raízes filosóficas, epistemológicas, científicas e religiosas na obra junguiana - 45 h/a

Ementa:
Análise textual e interpretativa da obra junguiana frente as principais correntes filosóficas, científicas e epistemológicas que influenciaram C. G. Jung, abordando a linguagem simbólica e arquetípica das principais tradições religiosas que formam o universo psíquico do homem moderno.

Objetivos:
Fazer com que o aluno compreenda a obra junguiana frente às várias correntes filosóficas, religiões, teorias do conhecimento e a origem da Ciência. Contribuindo para que o senso crítico e ético seja melhor consolidado, além de solidificar os conceitos de arquétipo, inconsciente coletivo e sincronicidade.

Bibliografia:

  • BOLEN, Jean Shinoda. A Sincronicidade e o Tao, SP, Cultrix, 1991
  • CLARKE, J. J. Em Busca de Jung, RJ, Ediouro, 1993
  • FRANZ, Marie-Louise von. Adivinhação e sincronicidade, SP, Cultrix, 1985
  • HILLMAN, James. Suicídio e alma, Petrópolis, Vozes, 1993
  • HILLMAN, James. Uma busca interior em psicologia e religião, SP, Paulinas, 1985
  • PROGROFF, Ira. Jung, Sincronicidade e destino humano, SP, Cultrix, 1989
  • Tuiavii. O Papalagui, SP, Marco Zero. 1987

 4. Aspectos clínicos da análise junguiana -30 h/a

Ementa:
Reflexões sobre a prática junguiana e as questões transferências, os mecanismos de defesa do ego, o setting e o holding terapêutico, a construção do vínculo, o abuso de poder, além de possibilitar ponderações sobre o sucesso e o fracasso na clínica junguiana.

Objetivos:
Permitir que o aluno reflita e se posicione frente às questões transferências, encontrando, de acordo com o seu tipo e sua função psicologia, o modos operante mais harmonioso para a sua atuação profissional e existencial.

Bibliografia:

  • GUGGENBÜHL-CRAIG,
  • Adolf. O abuso do poder na psicoterapia e na medicina, serviço social, sacerdócio e magistério. RJ, Achiamé, 1978
  • SANFORD, J. Os Parceiros Invisíveis, SP, Paulus, 1986
  • STEIN, Robert. Incesto e amor humano, SP, Símbolo, 1978
  • STEINBVERG, Warren. Aspectos Clínicos da Terapia Junguiana, SP, Cultrix, 1992

 5. Psicopatologia e a mitologia como ferramenta simbólica -30 h/a

Ementa:
Aspectos psicopatológicos e a mitologia como ferramenta de ampliação e de entendimento das dinâmicas psíquicas em busca da cura da alma.

Objetivos:
Proporcionar aos alunos uma formação teórica e capacitação frente aos diagnósticos psicopatológicos, bem como capacitá-los na utilização de mitos e de contos de fadas como ferramenta de trabalho nas mais diferentes demandas psíquicas.

Bibliografia:

  • BRANDÃO, Junito de Souza. Mitologia Grega, Petrópolis, Vozes, 1989
  • CAMPBELL, Joseph. O poder do mito, SP, Palas Athena, 1990
  • FIERZ, Heinrich Karl. Psiquiatria junguiana, SP, Paulus, 1997
  • HILLMAN, J. O mito da análise, RJ, Paz e Terra, 1984
  • KERÉNYI, Karl. Os Deuses Gregos/Os Heróis Gregos, SP, Cultrix, 1994
  • SALAND, N. S. A Personalidade limítrofe, SP, Cultrix, 1989
  • VON FRANZ, Marie-Louise. Reflexos da alma, SP, Cultrix, 1992

 6. Procedimentos e práxis da Psicologia Analítica -30 h/a

Ementa:
Aprofundar quanto ao uso de sonhos, contos de fadas, mitos, amplificação simbólica nas práticas dos profissionais de ajuda, além de priorizar as questões das práticas transdisciplinares e da utilização de técnicas e instrumentos projetivos utilizados pela abordagem junguiana.

Objetivos:
Subsidiar a práxis do referencial junguiano, nas diversas áreas de atuação profissional.

Bibliografia:

  • SAMUELS, Andrew. Jung e os Pós-Junguianos, RJ, Imago, 1989
  • SANFORD, John. Os sonhos e a cura da alma. SP, Paulinas, 1991
  • WHITMONT, Edward e S. Pereira. Sonhos um portal para a fonte,SP, Summus, 1995

 7. Metodologia do trabalho científico 30 h/a

Ementa:
Conceitos básicos de metodologia científica. Ciências e conhecimento. Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos. A análise textual, temática e interpretativa. Pesquisa e projeto de pesquisa. Subsídios para a elaboração de uma monografia.

Objetivos: Fornecer os elementos básicos necessários para capacitar o aluno para o trabalho científico, desde o desenvolvimento da pesquisa, análise de textos, elaboração de projeto, até os subsídios para a elaboração de uma monografia científica. Compreensão dos métodos correntes mais utilizados.

Bibliografia:

  • SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico, SP, Cortez, 2000
  • CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia, SP, Ática, 1995

 Atividades Complementares

Os alunos fazem, facultativamente, 100 horas de atendimento e 120 horas de supervisão de casos clínicos, extra muros acadêmicos. Todos os alunos participam de seminários com produção escrita e apresentação além da elaboração do projeto de conclusão de curso em grupo.

Controle de Frequência

Por tratar-se de um curso voltado para análise, pesquisas e trabalho científico, a avaliação ocorrerá como ato contínuo no decorrer das aulas, somados a duas avaliações escritas, que acontecerão no meio e no final do curso, apresentação de seminários em grupo, com trabalhos escritos e expositivos e frequência mínima de 75% das aulas, com controle presencial.

Trabalho de Conclusão

Produção de trabalho monográfico, em concordância com as normas técnicas da ABNT e do IJEP/FACIS.

 Horas aulas

225

Atividades programadas

120

Atendimentos/Ateliê*

120

Metodologia Científica

30

Supervisão*

100

Total Geral

595

*facultativas

Carl Gustav Jung

Carl Gustav Jung foi um dos maiores pesquisadores da alma humana no século passado!

A obra de Jung é o registro fiel de sua vida e de suas experiências clínicas, tendo como base o processo empírico relacionando, sempre, aspectos teóricos e práticos.

Jung tenta conceituar, mas  não se ocupa em definir e, com coerência e muita consistência, sua obra atende a todas as necessidades do mundo moderno, inclusive das situações extremas e emergenciais.

Para Jung o processo de individuação vai contribuir para que  tu te tornes aquilo que tu és. Porém, a persona científica, vestida com as roupas da arrogância do saber, nos afasta deste processo, projetando uma enorme sombra, que se expressa através do capitalismo selvagem. Jung diz que a negação do si-mesmo conduz ao consumo desenfreado.

O que Jung busca, com o conceito de individuação, não é a perfeição, mas a realização do ser e a sua plenitude, permitindo o reconhecimento das antinomias e da sombr.

Jung tem demonstrado, ao longo de sua obra, o quanto que é humanista, não essencialista e determinista, sempre acreditando no potencial da criatividade humana e no caráter compensatório e auto-regulador do Self. Jung é um empirista, não dogmático, mas extremamente coerente e fiel a seus princípios, suas idéias, seu paradigma e, enfim com sua doxa.

Jung, apesar de trabalhar com os aspectos retrospectivos e causais do passado, volta seu pensamento na direção prospectiva, buscando o sentido e o entendimento das manifestações, sendo assim muito mais finalista do que os mecanicistas que são retrospectivos, por viverem sempre em  busca das causas passadas para terem o pseudo "poder" de explicar tudo sem entender nada.

Jung esta sempre valorizando a força do diálogo e a arte da hermenêutica, deixando de ser apenas um hábil ouvinte, pois convida seu cliente para ser um parceiro ativo em todo o processo terapêutico.

Jung sabia que, em todas as pessoas, existe um mecanismo criativo contribuindo para que as transformações aconteçam, chamando-o de função transcendente.

Jung, mesmo desprendido do rigor cartesiano concreto, era um grande pesquisador, sem jamais abandonar o respeito pela ciência e pela alma humana, dizendo que as idéias de consciente e de inconsciente nasceram juntas.

Freud via o mito no mesmo complexo nuclear da neurose. Jung, ao contrário,  como funções sadias e positivas da psique, sem se ligarem, necessariamente, a impulsos sexuais ou neuróticos. 

Para Freud, o sentido da vida é a aquisição de conhecimento em busca da perfeição. Para Jung, é a realização do si mesmo, que traz um sentimento de plenitude, que leva à transcendência.

Para Freud, os símbolos são restos reprimidos do passado. Para Jung são os grandes geradores de energia psíquica, que contribuem com a capacidade criativa do homem.

Para Freud, a religião é derivada do complexo de Édipo, paterno ou materno, com a sublimação do instinto sexual. Desta forma, a razão, afasta totalmente o sagrado. Para Jung, é um fenômeno universal, inerente à psique; são grandes sistemas psicoterapêuticos, que favorecem a religação com o arquétipo central, ou si mesmo.

Freud não aceitou as categorias junguianas de inconsciente coletivo, arquétipos, função transcendente, sincronicidade, capacidade simbólica e  criativa da psique, entre outras. Jung tinha um enfoque muito mais voltado para o pensamento prospectivo sintético, sem desconsiderar  o conhecimento redutivo causal, que era à base da análise de Freud, onde se pesquisava a origem do trauma.

 Freud era um homem sem laços com a história, julgando-se inventor de conceitos e que, apesar de sua inteligência extrema, negava o conhecimento filosófico, preferindo ficar só, em sua ilha, para não correr o risco de se "contaminar" com outros pensamentos e ter a certeza de que tudo que produzia era seu. Para impor, sob a forma de dogmas, sua teoria, desconsiderando a antropologia, sociologia e a unicidade.

Jung, ao descrever a Freud um sonho que havia tido, constatou que suas diferenças ficaram muito mais evidentes. A interpretação feita por Freud contribuiu, significativamente, para que a separação acontecesse. Mas, posteriormente, este mesmo sonho, lhe possibilitou o entendimento da psique além de reativar seus interesses pela arqueologia.

Jung encorajava seus alunos em abordar cada  caso com um mínimo de suposições preconcebidas. Dizia, apesar de saber ser utópico e impossível, que o ideal seria não ter nenhuma suposição, e que cada analista encontre os seus próprios caminhos, dizendo:

"... Posso apenas esperar e desejar que ninguém se torne ‘junguiano’... Eu não proclamo qualquer doutrina predeterminada, e abomino os ‘partidários cegos’. Deixo todas as pessoas livres para lidar com os fatos à sua própria maneira, pois também reclamo essa liberdade para mim"

 Nestas frases percebemos o sentido Teleológico que Jung alimenta sobre a alma humana, sua dinâmica e seus fins.

 

É significativo citar que na entrada de sua casa Jung colocou em latim os seguintes dizeres: “Chamado ou não chamado, Deus está presente”.

 Waldemar Magaldi Filho

 

Pós-graduação e especialização em Psicologia Junguiana

 

O curso de especialização em psicologia junguiana é uma pós-graduação que titula e forma profissionais para atuarem como analistas junguianos. Nossa pós-graduação além de ser uma especialização em psicologia junguiana também é uma excelente oportunidade para ampliação cultural e de autoconhecimento, porque  a psicologia junguiana aborda o ser humano de forma integral, abrangendo e integrando a psicologia, em sua dimensão instintiva e arquetípica, e a biologia.

A pós-graduação em psicologia junguiana é uma especialização que irá capacitar os alunos a analisarem os sonhos, compreenderem todos os sintomas de adoecimento, por serem manifestação psicossomática da natureza humana, e criarem condições para as expressões criativas acontecerem. Além disso, a especialização em psicologia junguiana também abrange a dimensão espiritual do ser humano, por ser estrutura fundante da psicologia humana.

O curso de especialização em psicologia junguiana, oferecido pela FACIS - Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo, em parceria com a equipe de professores do IJEP - Instituo Junguiano de Ensino e Pesquisa, acontece desde 1992, e neste período já formamos centenas de profissionais. A base teórica do curso de pós-graduação em psicologia junguiana épreponderantemente a obra completa de Carl Gustav Jung, acrescido das contribuições de especialistas junguianos mais modernos.

O tempo de duração do curso de especialização da pós-graduação em psicologia junguiana é de 25 meses, com um encontro mensal, que acontece em um sábado das 9h as 17h:30m. O aluno da especialização em psicologia junguiana terá aulas teóricas, algumas vivências e a possibilidade de discussão de casos que foram atendidos na abordagem da psicologia junguiana. Além disso, os alunos da especialização em psicologia junguiana entrarão em contato com a potencialidade arquetípica contida na mitologia e nos contos de fada, na forma de trabalhos e seminários, dando a esta pós-graduação mais profundidade e capacitação ao futuro especialista em psicologia junguiana poder transitar no universo simbólico da humanidade.

Por tudo isso, a pós-graduação de especialização em psicologia junguiana é uma excelente oportunidade para quem está em busca de ampliar suas capacitações nas áreas de humanas e biológicas, possibilitando a ampliação do universo. A especialização em psicologia junguiana é uma pós-graduação aberta para todo aluno que já tenha um título universitário, dando a ele a  titulação da especialização em psicologia junguiana, reconhecida pelo MEC.  Esta especialização em psicologia junguiana é ministrada por uma excelente equipe de professores, a maioria com doutorado e também possuidores da especialização desta pós-graduação em psicologia junguiana. Com isso, esta pós-graduação tem características únicas, contando com uma equipe de especialistas em psicologia junguiana de primeira linha, muito entusiasmados com a pós-graduação de psicologia junguiana.

Newsletter

Receba as nossas notícias e novidades em seu e-mail:

Parceiros